domingo, 8 de novembro de 2009

Poemas no Ônibus e no Trem de Porto Alegre

POETA ÀS PRESSAS
Achei que era fácil
versar o que sentia
tentei virar poeta
da noite para o dia.
Rimei minha quimera
e meu sonho-utopia
com a tal da primavera
e aquela luz do dia.
Preocupado com a rima
esqueci da poesia.
(Ricardo Porto)

3 comentários:

Carmen Moreno em Prosa e Verso disse...

Olá Ricardo,

Acabei de me incluir como seguidora do blog, e li este seu poema original e delicioso.

Parabéns!

Abs,
Carmen Moreno

CHICA disse...

Ricardo, meu REI! Maravilha!! Alguém já havia dito que a poesia não dorme de toca quando anda de boca em boca! Abençoado o verbo que te escapa da alma e a tua boca proporciona o belo ato de compartilhar com todos! Feliz TUDO!! Um ANO NOVO recheado de lirismo!! beijos, tua fã, CHICA.

Fred disse...

Super

Super bom
parabens